Blog Section

Cirurgia plástica e gravidez

A grande maioria das mulheres principalmente no dias de hoje, sonham com um corpo magro, de pele macia e formas sedutoras, sem manchas, celulites ou estrias e essa constante busca pela beleza e juventude eterna é o que motiva muitas mulheres a buscar médicos das mais variadas especialidades, sendo que os procedimentos estéticos, entre eles a cirurgia plástica vem crescendo cada vez mais.
Todas nós sabemos que a gravidez é um período muito especial na vida das mulheres e estar grávida significa muitas mudanças, tanto emocionais quanto físicas e diante disso muitas mulheres ao ver seus corpos modificados ficam ansiosas na expectativa de recuperar o corpo que tinham antes da gestação, com isso cada vez mais mulheres questionam seus médicos sobre a possibilidade de se fazer uma cirurgia plástica junto à cesárea, “aproveitando que já se encontram em procedimento cirúrgico”, 
É de conhecimento de todas que durante a gravidez os obstetras recomendam engordar o mínimo necessário, pois durante a gestação a pele vai esticando com grande velocidade, portanto em nove meses ela sofre um estiramento nunca sentido antes e isso ocasiona a ruptura das fibras elásticas originando assim as terríveis estrias. Por isso recomenda-se uma alimentação adequada e um aumento de peso saudável, pois só com a placenta, líquido aminiótico e inchaço, engordamos em média oito quilos, por isso quanto menos engordar mais fácil e rápido será recuperar o corpo de antes, visto que muito desses quilos são eliminados semanas após o parto.
Todo o aumento de peso que ultrapasse doze quilos, considerados normais em uma gestação normal é pura gordura, por isso aquele papo que temos que nos alimentar por dois é pura furada, a gordura em nada ajuda no desenvolvimento da criança e ainda prejudica a mãe, pois um aumento de peso excessivo pode contribuir para quadros como diabete gestacional, hipertensão arterial, levando até mesmo a uma eclampsia.
Importante também manter sempre a pele hidratada, principalmente do abdômen e das mamas, evitando assim a rupturas das fibras.
Quanto à questão da cirurgia plástica junto à cesárea, é preciso muita cautela, pois com a associação dessas cirurgias aumentam-se consideravelmente os riscos de trombose e infecções, podendo ocorrer complicações fatais para a paciente.
Outro fator que merece relevância é o fato que a ABDOMINOPLASTIA, cirurgia que retira a pele e a flacidez do abdômen, assim como em todos os procedimentos cirúrgicos requer cuidados, não sendo recomendado fazer esforços, carregar peso, o que dificultaria muito à amamentação, além da musculatura do abdômen encontrar-se muito fragilizada e distendida após o parto, dificultando a avaliação para a realização da plicatura.
Segundo o profissional, cirurgias plásticas apresentam melhores resultados em pacientes sem excesso de peso ou inchaço o que raramente ocorre com gestantes, visto que a maioria chega ao parto com sobrepeso, portanto o resultado pode não ser o esperado para aquelas que desejam a cirurgia plástica na hora do parto.
Sendo assim, conclui-se que não são convenientes as cirurgias plásticas associadas ao parto, pois além da condição física da paciente não ser a ideal ainda há maiores riscos em relação à saúde, por isso o ideal é recupera-se do parto, parar com a amamentação para só então buscar a melhora estética, com maior segurança e conforto, até porque em se tratando de custo as cirurgias separadas não diferem das associadas.
O mais importante é se cuidar durante a gravidez, hidratando sempre a pele e evitando o sobrepeso, quanto à questão estética lembre-se que a situação é temporária por isso não se desespere, pois não há nada mais belo do que o dom de poder gerar uma vida.